VIII Congresso da APLOP

VI CONGRESSO DA APLOP - Painel II – Paulo André Holanda (1)

IV Encontro de Portos da CPLP - Franklin Spencer

POR VÍTOR CALDEIRINHA

Apostar nos Portos da CPLP

Tem vindo a afirmar-se no contexto da CPLP, que este conjunto de países de língua comum é, e deve ser cada vez mais, uma força no xadrez mundial em termos económicos.
Ora, as forças económicas mundiais carecem de estratégia comum e de fontes de poder.
Um dos temas que liga os países da CPLP é o Mar, que foi a via de comunicação durante séculos entre estes países, hoje mais restringida devido ao contexto histórico.
O Mar pode ser novamente uma grande fonte de poder destes países da CPLP, a renovar e a materializar em fluxos de cargas e navios, tendo por base o recurso às infra-estruturas portuárias de cada um destes países e às suas cadeias logísticas marítimas e terrestres.



POR LUÍS SOUSA

APLOP - Uma «língua» e uma «linguagem» comum para o mar

Segundo números do Worl Fact Book da Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos da América, a APLOP representa um total de cerca de 15.000 Km de costa, distância que se encontra no ranking dos 10 países com maiores costas do mundo, entre o nono lugar da China e oitavo dos Estados Unidos da América.
No domínio da exploração de recursos piscatórios de forma sustentada, também se registam números expressivos. A Zona Económica Exclusiva (ZEE) que a APLOL representa, tendo em conta números da organização Sea Around Us Project , atinge uma área que ronda os 7,2 milhões de km2, o que a coloca um pouco abaixo da ZEE da Rússia, a quarta maior do mundo.





TOP